Search

Você pode gostar disso:

O que terá acontecido a Baby Jane? (1962)
Ação Filmes Nacional

O que terá acontecido a Baby Jane? (1962)

Bette Davis é Jane Hudson, uma artista que alcançou a

Museu do cinema em Nova York
Ação Filmes Nacional

Museu do cinema em Nova York

Você sabia que em Nova York existe um dos melhores museus do cinema? Em 2015, aproveitei a viagem para conhecer o Museum of the Moving Image, que fica no Queens. É o único museu nos Estados Unidos dedicado a “imagens em movimento”. Por isso, muitas exibições relacionadas a cinema pode ser vistas. Provavelmente é um dos melhores museus sobre cinema do mundo. Vejam algumas fotos que tirei no museu.

coolcrying
Agonia e Êxtase (1965)
Ação Filmes Nacional

Agonia e Êxtase (1965)

Preocupado com o legado que deixaria para as gerações futuras, o Papa Júlio II (Rex Harrison) resolve contratar o artista Michelangelo (Charlton Heston) para pintar o teto da Capela Sistina. O artista se nega, mas logo é forçado pelo pontífice a fazê-lo. A partir daí, começam as disputas entre Michelangelo e o papa à respeito do projeto. Dirigido por Carol Reed.

laughingsecret

2 Coelhos (Brasil, 2012)

2 Coelhos (Brasil, 2012)

Edgar (Fernando Alves Pinto) encontra-se na mesma situação que a maioria dos brasileiros: espremido entre a criminalidade, que age impunemente, e a maioria do poder público, que só age com o auxilio da corrupção. Cansado de ser vítima desta situação, ele resolve fazer justiça com as próprias mãos e elabora um plano que colocará os criminosos em rota de colisão com políticos gananciosos. Na medida que o plano de Edgar é executado, descobrimos pouco a pouco suas reais intenções e sua história, marcada por um terrível acidente e um amor que ele jamais esqueceu. Dois Coelhos é um enigmático suspense de ação onde cada minuto vale mais que todo o passado. Dirigido e escrito por Afonso Poyart.

A gente precisa se afastar um pouco do papel, para entender o desenho todo

Levando quatro anos para estrear nos cinemas nacionais, este é um dos melhores filmes que tive oportunidade de ver no ano passado. Soube inovar o cinema brasileiro, com ação interessante, animações, efeitos visuais e sonoros e trilha sonora bacana, aproveitando bem o que a tecnologia oferece nos dias de hoje. Além de ficar no mesmo patamar que ótimos filmes americanos de mesmo gênero, tem a sua especificidade e mérito, na medida em que apresenta também um roteiro bem elaborado e surpreendente, criticando claramente a corrupção brasileira e a zona de conforto onde parte da sociedade se mantém. Apresenta a técnica de narrativa não-linear e um final entrelaçado com toda a linha da trama; aquele tipo de filme cuja última cena deixa o espectador perplexo. Destaco até a escolha certa do momento no qual o personagem narra “A gente precisa se afastar um pouco do papel, para entender o desenho todo”.

São muitas cenas com efeitos especiais, usando animação e desenho, dando um charme especial para o filme. A representação visual da personagem Julia (Alessandra Negrini), quando tem uma crise de síndrome de pânico, exemplifica bem essa característica.

Este é um destaque no meio de tantas produções nacionais que apresentam entretenimento descartável, boa parte inspirados em outras produções americanas também sem graça. Já existe um projeto para a refilmagem, por parte da produtora americana Tango Pictures.

Lista de filmes nacionais:

Neste espaço me arrisco a indicar alguns filmes nacionais:
– O Pagador de Promessas (1962)
– Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964): dirigido por Glauber Rocha
– Terra em Transe (1967): também por Glauber Rocha
Tolerância (2000): uma trama bem elaborada com uma boa pitada sexual
– Eu Tu Eles (2000)
– Bicho de Sete Cabeças (2001)
– Cinema, Aspirinas e Urubus (2005)
O Homem que Engarrafava Nuvens (2009) (de Lírio Ferreira) (Documentário sobre Humberto Teixeira)
– Riscado (2010)
– O Palhaço (2011): com Selton Mello reconhecido por sua atuação e direção
O Som ao Redor (2012): recentemente nos cinemas, excelente e bastante premiado
A Coleção Invisível (2012): venceu o prêmio de júri popular no Festival de Gramado
– Serra Pelada (2012)
– Jorge Mautner – O Filho do Holocausto (2012)
– Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2013)
– O Lobo Atrás da Porta (2013)
Isolados (de Tomas Portella) (2013): filme de suspense nacional de qualidade
– Depois da Chuva (2013): de Cláudio Marques e Marília Hughes
– Praia do futuro (2014)
– Que Horas Ela Volta? (2015)

__________________________________
Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/2_Coelhos
http://omelete.uol.com.br/2-coelhos/cinema/2-coelhos-critica/

Tags Relacionadas A Coleção Invisível, crítica, Isolados, O Homem que Engarrafava Nuvens, O Som ao Redor, resenha, Tolerância
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

Paixão a flor da pele (2004)

Eu indico Wicker Park (EUA, 2004) Matthew (Josh Hartnett) é

Filmes

As Vinhas da Ira (“The Grapes of Wrath”, EUA, 1940)

Eu indico The Grapes of Wrath (EUA, 1940) A história

laughingconfusedmoustachetongue
Jogador Nº 1 (2018)
Cult

Jogador Nº 1 (2018)

O ano é 2045. Em Columbus, Ohio, vive Wade Watts (Tye Sheridan), jovem que se vê preso a um mundo onde em vez de resolver os problemas, as pessoas apenas sobrevivem a eles. Morando sob o mesmo teto de sua tia Alice, constantemente vítima de seus detestáveis companheiros perdedores, o garoto encontra a fuga deste ambiente na realidade virtual do jogo OASIS. Dirigido por Steven Spielberg. Resenha SEM spoilers.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *