Search

Você pode gostar disso:

Ação Filmes Policial Suspense

Poder Paranormal (“Red Lights”, EUA / Espanha, 2012)

Eu indico Red Lights (EUA / Espanha, 2012) Dois investigadores

laughingangry
O Hospedeiro (“Gwoemul”)
Ação Filmes Policial Suspense

O Hospedeiro (“Gwoemul”)

Na beira do rio Han, moram Hee-bong e sua família, donos de uma barraquinha de comida no parque. Seu filho mais velho, Gang-du, tem 40 anos, mas é um tanto imaturo; a filha do meio é arqueira do time olímpico coreano; e o filho mais novo está desempregado. Todos cuidam da menina Hyun-seo, filha de Gang-du, cuja mãe saiu de casa há muito tempo. Um dia, surge um monstro no rio, causando terror nas margens e levando com ele a neta querida de Hee-bong. É a hora da verdade para cada membro da família, que decide enfrentar o monstro em busca da menina.

happy
Top 10 filmes produzidos em 2014
Ação Filmes Policial Suspense

Top 10 filmes produzidos em 2014

Com a proximidade do Oscar, faço uma reflexão e indico os 10 melhores filmes produzidos em 2014, os quais tive a feliz oportunidade de assistir. Você pode ver a resenha que fizemos de alguns dos filmes clicando no título.

laughingsurpriseangry

A Hard Day (Coreia do Sul, 2014)

Kkeutkkaji Ganda (Coreia do Sul, 2014)

A trama acompanha o detetive Ko Gun-Soo que, ao voltar do funeral de sua mãe, atropela um homem em uma estrada escura. Em um momento de desespero, o policial oculta o crime e tenta esconder o corpo. A partir disso, o detetive vai passar por várias situações complicadas. Escrito e dirigido por Kim Seong-hoon.

Por um fio:

Este filme participou do Festival de Cannes de 2014. Carregado de surpresas, principalmente na primeira metade, e de situações tensas onde o personagem principal fica por um fio, é mais uma prova de que a Coreia do Sul sabe fazer bons filmes de suspense e ação. O ator Lee Seon-gyoon interpreta o principal Ko Gun-Soo de forma muito convincente, cada expressão de surpresa, desespero e até alívio fica bem realista. Esperamos ele entrar em pânico a qualquer momento e nos surpreendemos com sua capacidade de manter a calma e sua criatividade para conseguir voltar aos trilhos. Podemos dizer o mesmo do ator Cho Jin-Woong, que interpreta o antagonista Park Chang-Min.
O diretor Kim Seong-hoon intensifica os momentos sufocantes vividos pelo policial, fazendo com que essa tensão se torne o elemento principal do filme, já que a cada momento no qual o personagem resolve um problema, outros desdobramentos não desejados ocorrem e ele precisa continuar enfrentando este dia difícil. É interessante também conferir a polícia da divisão de homicídios coreana de forma realista, com muitos policiais corruptos e que se desviaram da conduta ideal esperada, aproveitando sua posição para se fazer acima da lei.

Acompanhando toda essa situação do ponto de vista de Ko Gun-Soo, acabamos até por sentir uma empatia por ele, mesmo após a sua decisão inicial de esconder o corpo. Junto a isso algumas cenas de ação bem elaboradas e muito mistério, com um diretor que consegue nos transportar para a realidade do filme e sentir a inquietação do protagonista, muitas idas e vindas sem descanso, o filme se torna uma divertida e incômoda atração.
Lembrando que a Coreia do Sul está, em minha visão, na lista dos países com as melhores produções cinematográficas da atualidade. Recomendo conferir a lista de indicações que deixei no final da postagem sobre o filme coreano Eu Vi o Diabo (2010).

__________________________________
Fontes:
http://bogiecinema.blogspot.com.br/2015/05/resenha-critica-hard-day-kkeut-kka-ji.html

Tags Relacionadas Coreia, crítica, Kim Seong-hoon, resenha
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

Depois da Chuva (Ame agaru)

Eu indico Depois da Chuva (Japão, 1999) Misawa é um

Filmes

O Lugar Onde Tudo Termina (EUA, 2013)

Eu indico The Place Beyond the Pines (EUA, 2013) Luke

cryingsecret
A Coleção Invisível (Brasil, 2012)
Filmes

A Coleção Invisível (Brasil, 2012)

A família de Beto (Wladimir Brichta) é dona de uma tradicional loja de antiguidades que está passando por uma crise financeira. Para tentar solucionar este problema ele se lança numa viagem até a cidade de Itajuípe, interior da Bahia, atrás de uma coleção raríssima de gravuras que foi adquirida há 30 anos por um antigo cliente, o colecionador Samir (Walmor Chagas). Entretanto, logo ao chegar Beto enfrenta uma forte resistência da esposa dele e de sua filha Saada (Ludmila Rosa). Dirigido por Bernard Attal.

1 Comentário

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *