Search

Você pode gostar disso:

Filmes

O Espião que Sabia Demais (“Tinker, Tailor, Soldier, Spy”)

Eu indico O Espião que Sabia Demais (Reino Unido /

tonguepunk
Annabelle 2: A Criação do Mal (2017)
Filmes

Annabelle 2: A Criação do Mal (2017)

Não podemos negar que o diretor David F. Sandberg conseguiu manter o nível do precursor James Wan, criador de Invocação do Mal e toda essa franquia que também incluí Annabelle e os futuros filmes A Freira e Invocação do Mal 3. A conexão que este filme faz com os anteriores é bem feita, disposta no meio da trama para agradar aos fãs e, para melhorar, esse filme é infinitamente superior ao primeiro Annabelle, que não agradou. É o mesmo diretor de Quando as Luzes se Apagam, que merece ser visto também. O roteiro é do mesmo do primeiro Annabelle, Gary Daubermann. E, é claro, James Wan está na produção, cuidando de seu legado.

Filmes

O Abutre (Nightcrawler, EUA, 2014)

Eu indico Nightcrawler (EUA, 2014) Enfrentando dificuldades para conseguir um

Blue Valentine (“Namorados Para Sempre”)

Eu indico
Blue Valentine (EUA, 2010)

Blue Valentine, traduzido no Brasil para “Namorados Para Sempre”, conta a história de Cindy e Dean, casados há algum tempo e com uma filha. O casal passa por um momento de crise, vendo o relacionamento ser desmanchado aos poucos. Dispostos a seguir em frente, os dois tentam superar os problemas, buscando no passado e no presente os motivos que o mantiveram unidos até este momento e os fizeram se apaixonar um pelo outro.
A minha história com o filme:
Engraçado como é a magia de ver um filme bom sem ter a mínima noção do que se trata. Apesar de saber que o filme “Namorados para Sempre” passou nos cinemas de Salvador em meados de junho deste ano (2011), eu acabei não me animando por conta do título e somente depois, por acaso, peguei emprestado com um amigo o filme “Blue Valentine”, sem ter associado um ao outro, e assisti. Me agradou muito e, quando pesquisei informações na Internet e vi a capa do filme, percebi que era o mesmo que deixei passar pelo cinema, sem interesse. Por sinal, o cartaz do filme ficou bem legal.
Minhas impressões – CONTÉM SPOILERS:
É um filme sério, com o qual muitas pessoas vão se identificar. Relacionamento desgastado é uma coisa comum, e o filme aborda o tema fortemente. A variação das cenas entre o passado e o presente, deixa o espectador perceber como era a magia do início em contraste com a dificuldade do momento. O diretor usou recursos visuais para aumentar o contraste entre as cenas do presente e passado. No passado, o primeiro encontro (um pouco fora do tradicional, porém mágico) e as expectativas, onde o casal tinha força e coragem nos momentos de dificuldade (a exemplo da gravidez inesperada, do momento de encarar a família do outro ou até mesmo do enfrentamento violento com um relacionamento anterior), um encarando as diferenças do outro sem julgamento. No presente, o esforço em passar um momento de alegria, o relacionamento tendo a filha como única ligação entre marido e esposa, o ciúmes exagerado e a não aceitação do outro do jeito que é. Não há o questionamento padrão “ainda existe amor?”, pois o amor pode estar lá e ajuda a sustentar a relação, além da filha muito apegada aos pais (principalmente ao pai). Duas pessoas que se amam deveriam ficar juntas. Mas é suficiente?
Detalhes que fizeram a diferença – CONTÉM MAIS SPOILERS AINDA:
A primeira coisa que me chamou a atenção foi a atuação espetacular do casal de atores (Michelle Williams e Ryan Gosling), percebendo primeiramente a atuação do ator. Tanto na juventude do passado quanto no presente adulto, perceba a sutil diferença nos modos de cada um, sendo mais sérios no presente, mesmo assim com alguns comportamentos que lembram a característica marcante de cada um. Não podemos esquecer da filha (a pequena atriz Faith Wladyka), também cumprindo o seu papel, com uma atuação bem convincente.
A música que foi adotada pelo casal no filme remete a uma lembrança dos bons momentos, um dos poucos momentos no presente em que há um sorriso sincero é quando a música toca no rádio quando o casal está num quarto. Quem nunca teve um relacionamento que foi marcado por uma música?
O homem, Dean, se mostrando mais ingênuo tentando meios de levantar a relação, mas não conseguindo superar o ego e o desgaste, chegando a ter momentos de raiva. A mulher, Cindy, se mostrando mais decisiva com a sugestão de rompimento, sendo no fundo uma pessoa muito sofrida.
Após a última cena, junto com os créditos, vem a mesma música tocada e cantada pelo personagem Dean, e dançada pela personagem Cindy, na cena onde eles estão na rua, de madrugada, e ela mostra seu “talento” em sapateado quando ele canta. A magia do momento, não planejado, fica marcada, e talvez reste somente a boa lembrança. E quanto a música, sempre estará lá.

Informações interessantes que talvez você não saiba:

– A dupla de atores conviveu por um mês para se conhecer melhor e parece que o diretor deixou que improvisassem à vontade. A cena em que Dean toca e Cindy dança ficou muito natural, entre tantas outras. Ambos foram indicados a premiações pela atuação (inclusive globo de ouro para ambos e oscar para ela);

– Quase toda a trilha do filme foi composta por músicas da banda Grizzly Bear, sendo que muitas na versão instrumental. Entretanto, a música adotada pelo casal no filme se chama You and Me, da banda Penny & The Quarters. Perceba que é a mesma que toca no filme, uma vez no presente e outra no passado;
– O título original do filme traz a palavra “azul” com a palavra “valentine”; esta última não tem tradução, mas tem relação com o “Valentine’s Day” (Dia dos Namorados). Uma possível explicação é que a palavra foi criada para homenagear “St. Valentine”, um religioso que ajudou a unir duas pessoas;
– A tradução para “Namorados Para Sempre” provavelmente foi uma estratégia de marketing já que, no Brasil, o filme entrou em cartaz em junho, mês dos namorados;
– Devido à morte do ator Heath Ledger, com o qual Michelle Williams foi casada, as filmagens de Blue Valentine foram adiadas para não prejudicar a dedicação dela (o diretor não queria outra atriz). A espera com certeza valeu a pena;
– O ator Ryan Gosling é mesmo que fez o protagonista do filme “Diário de Uma Paixão”, considerando por muitas pessoas como um grande romance;
– A música “You Always Hurt the One You Love” foi escrita originalmente por Allan Roberts e Doris Fisher. Ao longo do anos, vários artistas mostraram a sua performance com a música. O ator Ryan Gosling mostra o seu talento na cena em que ele toca e canta a música para a personagem Cindy dançar, nas ruas. 

__________________________________
Fontes: 
http://www.arcauniversal.com/lazerecultura/noticias/namorados-para-sempre-5654.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Blue_Valentine
http://www.imdb.com/title/tt1120985/soundtrack
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_dos_Namorados

Próximo post

Você pode gostar disso:

Filmes

A Trilha (“A Perfect Getaway”)

Eu indico A Trilha (EUA, 2009) Cydney (Milla Jovovich) e

Filmes

Diário de um Jornalista Bêbado (“The Rum Diary”)

Eu indico Diário de um Jornalista Bêbado (EUA, 2011) Paul

laughingtongue
Kingsman 2: O Círculo Dourado (2017)
Filmes

Kingsman 2: O Círculo Dourado (2017)

Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato. Dirigido por Matthew Vaughn.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *