Search

Você pode gostar disso:

angeltongue
Despedida em grande estilo (2017)
Filmes Na pré Suspense Terror

Despedida em grande estilo (2017)

Morgan Freeman, Michael Caine e Alan Arkin se juntam para uma comédia bacana onde senhores de idade resolvem planejar e assaltar um banco. É a vez dos idosos se rebelarem contra a exploração dos bancos. Dirigido por Zach Braff.

crying
Sete minutos depois da meia-noite (2017)
Filmes Na pré Suspense Terror

Sete minutos depois da meia-noite (2017)

Conor é um garoto de 13 anos de idade, com muitos problemas na vida. No entanto, todas as noites ele se depara com uma gigantesca árvore-monstro que decide contar histórias para ele, em troca de escutar uma história do garoto. Embora as conversas com a árvore tenham consequências na vida real, elas ajudam Conor a escapar das dificuldades através do mundo da fantasia. Dirigido por Juan Antonio Bayona.

happy
Top 10 filmes lançados em 2016
Filmes Na pré Suspense Terror

Top 10 filmes lançados em 2016

Finalmente a lista dos melhores filmes lançados em 2016. Confira e divirta-se!

tongueangrypunk

Corra! (“Get Out”, 2017)

Get Out (EUA, 2017)

Chris (Daniel Kaluuya) é jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.

Corra para assistir!

Sem dúvida a fama deste filme está boa, muitas impressões positivas foram divulgadas antes até da pré-estreia. O que podemos dizer, com o perdão da repetição, é: “corra” para ver! Podemos comparar o filme a uma mistura dos melhores episódios de Black Mirror, Westworld e Além da Imaginação, três grandes séries. Aliás, quem estrela este filme é o protagonista de um dos primeiros episódios de Black Mirror, o ator Daniel Kaluuya. Ainda assim, o filme prioriza o gênero suspense, daqueles que beiram à agonia, então fãs do gênero serão agraciados.

Carregado de mistério e suspense, merece que o espectador assista sem saber detalhes do roteiro. Então essa resenha aqui promete – e cumpre – não escrever spoiler!

Só o fato de um jovem negro ter que conhecer e passar o final de semana com a família da namorada, todos brancos, já daria uma sessão de horror. Logo vemos que a temática do racismo aparece como proposta no filme, mas o que vem depois daí vai além disso, pois se torna um interessante show de horrores, na linha do terror psicológico a medida que as coisas vão se revelando. Como se já não bastasse a condição a qual Chris (Daniel Kaluuya) é submetido, ao conhecer os pais e irmão da garota, a situação vai ficar pior do que imaginamos.

Foi escrito e dirigido por um ator de comédia, Jordan Peele, que acabou responsável por esse bom resultado, conseguindo até sair da linha óbvia que parece construir até a metade do filme. Ou seja, em alguns momentos consegue surpreender com reviravoltas positivas. E, como esperado, introduz cenas cômicas, mas não banaliza o conjunto da obra. O personagem interpretado por Lil Rel Howery, melhor amigo de Chris, está ótimo e é responsável pelas cenas mais engraçadas. Mas a atmosfera do filme é muito mais horror do que comédia.

Daniel Kaluuya ganhou destaque e cumpriu muito bem o papal principal. Ele está perfeito como o visitante na casa alheia que acaba se vendo numa situação bizarra, horrorizado com os acontecimentos. Suas reações, caras e bocas diante das descobertas são bem expressivas. Alguns personagens são sinistros, outros são de uma frieza que dá raiva. Na verdade, praticamente todos os atores mandam bem na atuação e isso reforça uma boa direção de elenco. Apresentando temas como racismo e hipnose, só que de uma forma inesperada e com cenas inteligentes, esse é um dos melhores thrillers dos últimos tempos.

Tags Relacionadas Além da Imaginação, Black Mirror, crítica, Daniel Kaluuya, daqueles que beiram à agonia, Jordan Peele, Rel Howery, resenha, terror, thriller, Westworld
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

tonguepunk
Annabelle 2: A Criação do Mal (2017)
Na pré

Annabelle 2: A Criação do Mal (2017)

Não podemos negar que o diretor David F. Sandberg conseguiu manter o nível do precursor James Wan, criador de Invocação do Mal e toda essa franquia que também incluí Annabelle e os futuros filmes A Freira e Invocação do Mal 3. A conexão que este filme faz com os anteriores é bem feita, disposta no meio da trama para agradar aos fãs e, para melhorar, esse filme é infinitamente superior ao primeiro Annabelle, que não agradou. É o mesmo diretor de Quando as Luzes se Apagam, que merece ser visto também. O roteiro é do mesmo do primeiro Annabelle, Gary Daubermann. E, é claro, James Wan está na produção, cuidando de seu legado.

Filmes

Horas de desespero (EUA, 2015)

Eu indico No escape (EUA, 2015) Jack Dwyer (Owen Wilson)

crying
Sonhadores (“The Dreamers”, 2003)
Filmes

Sonhadores (“The Dreamers”, 2003)

Matthew (Michael Pitt) é um jovem que, em 1968, vai estudar em Paris. Lá ele conhece os irmãos gêmeos franceses, Isabelle e Theo (Eva Green e Louis Garrel). Os três logo se tornam amigos, dividindo experiências e relacionamentos enquanto Paris vive a efervescência da revolução estudantil. Dirigido por Bernardo Bertolucci.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *