Search

Você pode gostar disso:

coolangelconfusedcryingmoney
Footloose: Ritmo Louco (EUA, 1984 e 2011)
Ação Comédia Filmes Na pré Primeiro Aqui

Footloose: Ritmo Louco (EUA, 1984 e 2011)

Ren McCormick é um rapaz criado na cidade grande que se muda para uma cidade pequena do interior. Disposto a organizar um baile de formatura, Ren acaba descobrindo que dançar não é permitido na cidade. Apaixonado por música, Ren decide lutar pela restauração da dança na cidade e, em meio a isso, acaba conquistando o coração de Ariel Moore. Entretanto, Ariel é a filha do conservador reverendo Shaw Moore, responsável pelo banimento da dança na cidade, em virtude da morte de seu filho. A versão original (1984) foi dirigida por Herbert Ross e a versão de 2011 por Craig Brewer.

laughingmoustachetongue
Jurassic World: Reino Ameaçado (2018)
Ação Comédia Filmes Na pré Primeiro Aqui

Jurassic World: Reino Ameaçado (2018)

Owen e Claire retornam à ilha Nublar para salvar os dinossauros restantes de um vulcão que está prestes a entrar em erupção. Eles encontram novas e aterrorizantes raças de dinossauros gigantes ao descobrir uma conspiração que ameaça todo o planeta. Dirigido por Juan Antonio Bayona.

Ação Comédia Filmes Na pré Primeiro Aqui

EuroTrip – Passaporte para a Confusão

Eu indico EuroTrip (EUA, 2004) Logo após sua formatura, Scott

laughingangeltongue

Jumanji: Bem-Vindo à Selva (2017)

Jumanji: Welcome to the Jungle (EUA, 2017)

Quatro adolescentes são transportados para dentro de um videogame cuja ação se passa numa floresta, mais uma vez estamos diante de um jogo que se mostra real, mas agora os personagens estão dentro deste outro mundo. As características de uma game são expostas com tranquilidade, temos os avatares de cada jogador, com suas características e atributos, temos o contador de vida, as fases, etc.

Dirigido por Jake Kasdan, o filme vai na carona da empolgante música do Guns N’ Roses, “Welcome to the jungle”, usada também no subtítulo do filme, assim somos inseridos na terra de Jumanji, com florestas densas e criaturas perigosas, além dos inimigos humanos. A diversidade ecológica se mistura à diversidade dos personagens, sendo assim o roteiro acerta um pouco em investir na questão da diversidade na medida em que junta um nerd, uma patricinha que adora exposição, um jogador de futebol popular que não estuda e uma menina estranha e tímida. Temos um confronto de personalidades nessa convivência a qual são submetidos e, somente quando aceitam as diferenças um do outro e passam a se ajudar, dando dicas, inclusive banais, é que eles conseguem avançar no jogo e criar uma sinergia e amizade entre si.

Mas o filme falha justamente onde deveria ser divertido e criativo, as missões do jogo poderiam ser melhor pensadas e apresentadas, são poucas e sem originalidade e perde-se onde o original acertou muito. Assim também nos deparamos com fracas piadas que quase levam o filme por água abaixo se não fosse o talento de atores veteranos, pois ainda assim é divertido ver Dwayne Johnson, Kevin Hart e Jack Black contracenando, além da Karen Gillan que está muito bem no meio deles (ela interpretou a Nebula em Guardiões da Galáxia). É um passatempo legal ver novamente Dwayne e Kevin mesmo com uma interação parecida com o último papel deles juntos (Um espião e meio, de 2016) e mais ainda na ideia acertada de colocar o Jack Black para interpretar uma garota no corpo de um homem com a aparência do Jack Black! Ele mostra um feminismo com uma naturalidade nata. São as piadas que mexem com o físico e charme de Dwayne, as atrapalhadas e falta de sorte de Kevin e essa situação de Jack Black que fazem o filme ter mérito.

O próximo parágrafo contém um pequeno spoiler!

Ao mesmo tempo em que é uma continuação do filme Jumanji de 1995, este também é um remake pois remodela a estrutura do original, dando uma modernizada na fórmula. Ao escutar o barulho dos tambores e mostrar o tabuleiro do filme original, nos vem uma lembrança maravilhosa do filme de 1995 e da presença impecável de Robin Williams. Seria demais este novo filme superar a magia, originalidade e grandeza do primeiro, nem devemos esperar por isso. Temos também, num dado momento, uma referência ao personagem Alan Parrish (de Robin Williams) na cena onde Alex (Nick Jonas) está na morada que Alan construiu no meio da floresta e cita este último.

Jumanji (1995)

Tags Relacionadas crítica, crítica Jumanji, Dwayne Johnson, Guns Roses, Jack Black, Jumanji, Jumanji 1995, Jumanji 2017, Jumanji selva, Karen Gillan, Kevin Hart, resenha, resenha Jumanji, Robin Williams, The rock, Welcome to the jungle
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

angelcrying
A festa de despedida (Israel, 2015)
Filmes

A festa de despedida (Israel, 2015)

Um grupo de amigos em uma casa de repouso em Jerusalém constrói uma máquina de auto-eutanásia, a fim de ajudar um amigo em estado terminal. Quando os rumores sobre a máquina começam a se espalhar, mais e mais pessoas começam a se interessar pela ideia de partir dessa para uma melhor, e o grupo de amigos se questiona se o que estão fazendo é a coisa certa. Dirigido por Tal Granit e Sharon Maymon.

Filmes

O Palhaço que Não Ri (The Buster Keaton Story, 1957)

Eu indico The Buster Keaton Story (EUA, 1957) Cinebiografia do

Filmes

Monstros

Eu indico Monsters (Reino Unido, 2010) A NASA descobriu formas

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *