Search

Você pode gostar disso:

happy
Top 10 filmes coreanos para hollywood nenhuma botar defeito
Drama Filmes

Top 10 filmes coreanos para hollywood nenhuma botar defeito

A Coreia do Sul possui excelentes produções há um bom tempo, embora tenha chamado a atenção mundial recentemente. Muitos filmes de qualidade, principalmente nos gêneros suspense e policial. Esse é um top 10 especial para mim, já que experimentei muitos filmes coreanos por indicação de amigos mais viciados e com base em outras listas na internet.

coolcrying
Esperança e Glória (Reino Unido, 1987)
Drama Filmes

Esperança e Glória (Reino Unido, 1987)

Uma autobiografia do diretor John Boorman, nascido e criado em Londres, durante a Segunda Guerra Mundial. O filme relata a história de um garoto de nove anos que relembra os horrores de uma Inglaterra devastada por bombardeios durante a guerra.

angrypunk
February (2015)
Drama Filmes

February (2015)

Joan caminha em direção a uma prestigiada escola preparatória para meninas, onde Rose e Kat se encontram presas depois de seus pais misteriosamente as esquecerem. Enquanto Joan se aproxima, visões aterrorizantes começam a assombrar Kat, ao mesmo tempo em que Rose acredita horrorizada que sua está sendo influenciada por uma força maligna. Dirigido por Ossgood Perkins.

crying

Primavera, Verão, Outono, Inverno… e Primavera (Coréia do Sul, 2003)

Bom yeoreum gaeul gyeoul geurigo bom (Coréia do Sul, 2003)

Em um pequeno monastério flutuante sobre um lago vivem um velho monge e seu jovem aprendiz. Enquanto o menino explora os arredores, ele se deixa levar por seus instintos e crueldades infantis. Porém, o mestre sempre está pronto para ensinar suas lições, e mostra para o garoto que as conseqüências de pequenos atos podem durar a vida toda. O filme do diretor sul-coreano Kim Ki-duk conta a história desse jovem seguindo o ritmo das estações do ano.

As 4 estações de Kim Ki-duk:

Contemplativo e bem reflexivo, recheado de elementos orientais, como o mestre e o aprendiz, a força e simbologia da estátua do Buda, portas sem paredes ao redor, o colchão em contato com o solo, pequenos animais e ensinamentos pelas artes marciais, esta obra do diretor Kim Ki-duk representa o que há de melhor no drama sul-coreano. O diretor também aparece no filme, interpretando o aprendiz, já na fase adulta.

Todo ser vivo sofre alguma influência das estações do ano. Até os animas já se comportam, por instinto, de forma diferente, seja para sobreviver, seja para usufruir o melhor de cada estação. No meio de um lago cercado de montanhas, nesta paisagem única e perfeita, dois monges compartilham a solidão. A cada estação, base da divisão de cada pedaço do filme, suas vidas vão mudando, principalmente ao aprendiz, que evolui espiritualmente, mas também se depara com desventuras marcantes. Quando menos esperamos, o próprio mestre sofre com o impacto das passagens, tendo a sua própria lição.

Cada estação é uma mensagem, uma passagem na vida dos dois e de outros que eventualmente visitam o monastério. Um pouco da vida lá fora chega a este suposto lugar protegido do mundo: desejos, sofrimentos, perigos, paixões. O velho moje, sempre de prontidão, percebe um perigo e alerta: “A luxúria desperta o desejo de posse e a intenção de matar”. Essa frase, como uma profecia, se torna a base do restante da obra.

A fotografia é impecável, não haveria como ser diferente, mesmo se tratando de um cenário pequeno. A beleza e paz que o lugar transmite, se misturam com a rotina mestre-discípulo, constantemente quebrada por algum acontecimento. E na passagem do tempo está este ciclo inevitável das estações, junto ao ciclo maior da vida transformando o coração dos personagens. Ao final do processo, inicia-se novamente uma das estações, onde contemplamos um final meio previsível, mas tão belo como o filme inteiro. Excelente opção até para quem não está acostumado com a cultura oriental.

__________________________________
Fontes:
http://criticos.com.br/?p=674
http://www.adorocinema.com/filmes/filme-53773/

Tags Relacionadas crítica, Filmes coeanos, inverno, Kim Ki-duk, outono, Primavera, resenha, Verão
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

A Greve (Stachka, Rússia, 1925)

Eu indico A Greve (Rússia, 1925) Em 1912, durante o

Filmes

Uma Aventura na África (The African Queen, 1951)

Eu indico The African Queen (Reino Unido / EUA, 1951)

confusedcrying
Cabaré Bibliotheque Pascal (2010)
Filmes

Cabaré Bibliotheque Pascal (2010)

Depois de um trailer empolgante, com uma trilha sonora bacana, qualquer um vai querer assistir! Mona vive nas ruas da Hungria ganhando a vida como artista e é vendida como escrava pelo próprio pai a um estranho bordel, onde as prostitutas são forçadas a agir como personagens literários. Roteiro e direção de Szabolcs Hadju.

1 Comentário

Deixe seu comentário

Seus dados estão seguros! Seu endereço de email não será publicado. E seus dados não serão compartilhados com terceiros. Campos obrigatórios marcados como *