Search

Você pode gostar disso:

happy
Top 10 filmes românticos
Filmes Suspense Terror

Top 10 filmes românticos

Todo mês de junho, mês dos namorados, você se pergunta como vai comemorar essa data? Uma boa opção é começar com um filme romântico a dois, em casa mesmo. Por isso deixo aqui a relação de 10 filmes que para mim foram especiais, neste sentido. Mas vale assistir sozinho(a) também. Sabendo que muitas listas de “melhores filmes românticos” são encontradas por aí com facilidade, busquei priorizar aqueles que considero menos conhecidos e coloquei em ordem por ano de lançamento.

Filmes Suspense Terror

Fruto Proibido (“Kielletty hedelmä”)

Eu indico Fruto Proibido (Finlândia, 2009) Duas meninas de 18

laughingtongue
Atômica (2017)
Filmes Suspense Terror

Atômica (2017)

A proposta é comum: espionagem, Guerra Fria, não confie em ninguém. Contudo, o enredo consegue ser atraente, a história se desenrola muito bem no roteiro de Kurt Johnstead e as cenas de ação são sensacionais e brutais, sendo postas no filme junto com músicas famosas dos anos 80 e 90. Afinal, o filme se passa em 1989, nessa transição entre duas décadas importantes na história. Os diálogos discutem de forma interessante a Guerra Fria e como os espiões foram importantes para evitar que essa guerra tomasse proporções catastróficas e estourasse como o efeito de uma bomba atômica. Mas bombástica no filme mesmo é a Charlize Theron, sua personagem é encaixada com facilidade nesse cenário onde a sobrevivência é constantemente ameaçada.

angrypunk

February (2015)

The Blackcoat’s Daughter (2015)

Como um filme de terror alternativo, February (ou The Blackcoat’s Daughter, já que parece ter havido uma indefinição sobre qual título oficial foi adotado para o filme) funciona muito bem. As cenas são um pouco arrastadas, mas o clima de suspense está presente o tempo todo e, com o tempo, cenas mais fortes e aterrorizantes surgem, violetas e mais próximas mesmo do terror do que do suspense. Lembra a atmosfera do excelente A Bruxa (2016), mas claro que não é tão bom quanto.

Apesar da nota do público no IMDb ter ficado abaixo da média (5,6), o metascore (nota dos críticos) chegou a 68, se aproximando um pouco da percepção que tivemos a respeito. É um filme de terror dos bons, beira ao sinistro e também surpreende, principalmente ao final. Apesar de uma temática já muito explorada e com diferentes resultados, este aqui conseguiu um viés diferente e isso só pode ser compreendido ao final do filme.

Apesar de confuso no início, já que foi adotada uma narrativa menos palpável, com o tempo o filme fica mais claro e as coisas vão se ajustando, após passado e presente serem alternados, mesmo numa sequência não linear. Pecou um pouco nessa montagem, já que o exagero das mudanças das cenas não é tão necessário para o resultado do todo. Mas isso pode ser deixado de lado, se nos prendermos à presença maligna que o filme aborda e nas escolhas que um personagem pode chegar a fazer, que chegam a incomodar.

E olha que interessante: foi escrito e dirigido pelo estreante Ossgood Perkins, filho do ator Anthony Perkins, eternizado por sua performance como Norman Bates no filme Psicose (1960), do mestre Alfred Hitchcock. No elenco, a Kiernan Shipka está como uma das protagonistas, e está ótima no papel, uma garota que aparentemente foi abandonada pelos pais na escola (ao menos eles não a visitam), que é uma espécie de escola e retiro de freiras, mas na verdade algo de maligno ronda o local e essa é a premissa do filme. Paralelo a essa narrativa está Joan (Emma Roberts) que está indo na direção dessa escola, não se sabe o porquê. Assim, com todo esse mistério e narrativa não trivial, esperamos que os espectadores confiram até o fim e compreendam, mesmo que não aceitem, a conclusão sinistra a qual o filme chega.

Tags Relacionadas A Bruxa, Anthony Perkins, crítica, Hitchcock, Psicose, resenha
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

laughingangeltongue
Deadpool 2 (2018)
Ação

Deadpool 2 (2018)

Dessa vez, o anti-herói vivido por Reynolds decide impedir que um misterioso soldado do futuro, Cable (Josh Brolin), mate um jovem mutante transgressor (Julian Dennison). Dirigido por David Leitch, essa sequência é um filme extremamente divertido que consegue manter o universo único do Deadpool, fora do contexto tradicional de filmes de herói, com novas piadas e, principalmente, muitos personagens que são bem aproveitados.

Filmes

Sobrenatural (“Insidious”)

Eu indico Insidious (EUA, 2011) A família Lambert, formada por

clownsecret
O Homem que Engarrafava Nuvens (Brasil, 2009)
DOC

O Homem que Engarrafava Nuvens (Brasil, 2009)

Documentário nacional que conta a história do baião através da ascensão e queda de um de seus maiores expoentes, o letrista e compositor Humberto Teixeira, conhecido como o "doutor do baião". Responsável por clássicos como "Asa Branca" e "Adeus Maria Fulô", Teixeira atingiu o estrelato nos anos 50 mas acabou quase esquecido. Na década seguinte, com o surgimento da bossa nova, o baião quase caiu na obscuridade. Dirigido por Lírio Ferreira.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário