Search

Você pode gostar disso:

cryingtongue
Isle of Dogs (2018)
Drama Filmes Na pré

Isle of Dogs (2018)

Em um futuro próximo, no Japão, uma epidemia dizimou parte da população canina, promovendo uma onda de histeria anti-cachorros. Um governante autoritário se aproveita da situação para se promover e decide banir todos os cachorros para a “Ilha do Lixo”, onde eles terão de lutar para sobreviver. Contudo, existe um movimento a favor dos animais e um dos donos, Atari, de 12 anos, decide embarcar em uma corajosa jornada até a ilha em busca de seu amado cachorro Spot. Dirigido por Wes Anderson.

cryingmoney
Secretária (EUA, 2002)
Drama Filmes Na pré

Secretária (EUA, 2002)

Após passar algum tempo em um sanatório, Lee Holloway (Maggie Gyllenhaal) volta para a casa de seus pais pronta para recomeçar sua vida. Ela então faz um curso de secretária e tenta um emprego com E. Edward Grey (James Spader), que tem um escritório de advocacia. Inicialmente o trabalho parece bem normal e entediante, mas com o tempo, chefe e subordinada embarcam numa relação mais íntima e cruzam linhas de conduta da sexualidade humana. Dirigido por Steven Shainberg.

moustacheangry
Prometheus (2012)
Drama Filmes Na pré

Prometheus (2012)

Uma equipe de exploradores descobre novos indícios sobre as origens da humanidade na Terra, levando-os a uma aventura impressionante pelas partes mais sombrias do universo. A bordo da nave estelar Prometheus, eles seguem para um planeta distante, onde existe uma civilização avançada.

cryingtongue

Rocketman (2019)

Rocketman (EUA, 2019)

Sem dúvida Elton John merece um grande filme que fale de sua vida e carreira, assim como foi Bohemian Rhapsody ano passado, mostrando Freddie Mercury e o Queen. Algo que tem dado certo nesses filmes é a escolha do ator principal. Taron Egerton interpreta aqui o “homem foguete”, ele canta de verdade, com sua própria voz e mostra uma performance excelente nas cenas musicais, em palco e dramáticas. Realmente impressionante para ele que ficou conhecido pelo papel principal nos dois filmes do Kingsman.

O filme escolheu um formato de musical, ou seja, do nada os personagens começam a cantar e dançar, inclusive os não protagonistas. Isso foi bom para dar uma diferenciada em relação ao Bohemian Rhapsody e evitar comparações bobas entre os filmes. Ambos são opções interessantes para ver no cinema e pronto! Até o garotinho que interpreta Elton John criança tem seu espaço. Contudo, muito musical pode cansar e o filme poderia ter destinado mais tempo para as cenas em palco ou com ele cantando seus sucessos e retirado algumas cenas musicais fantasiosas; algumas músicas famosas, ao ser apresentadas no filme com Taron Egerton cantando, foram cortadas antes da hora. Para a maioria das canções deu só aquele gostinho. Particularmente senti falta de Nikita e Sacrifice. Por outro lado temos uma cena espetacular com o piano em câmera 360 e com uma das músicas mais vibrantes dele!

O foco no piano, instrumento inseparável do cantor, foi acertado e, claro, a música que é título do filme surge numa interessante cena que começa num lugar e termina no palco. A marca da extravagância das roupas e do superstar deslumbrante está lá, bem forte, e Taron Egerton parece ter personificado muito bem o artista. Merece ao menos indicação ao Globo de Ouro de melhor musical, melhor ator e figurino. Mais de 50 pares de sapatos foram criados para filme (o cantor poderia ter emprestado os dele, né? hehe).

As cenas finais vão lembrar não somente o filme do Queen, como outros de artistas que sofreram altos e baixos, pensaram em desistir, mas no final deram uma volta por cima e deixaram sua marca. Já que o próprio Elton John produz o filme e acompanhou de perto as filmagens, acho difícil alguém com mais conhecimento de causa detectar divergências no filme em relação a vida dele, então a tendência do sucesso do filme é tão alta como foi a carreira do cantor.

Não deixe de ficar um pouco nos créditos finais para apreciar algumas cenas comparadas com a cena real.

Elton John e Taron Egerton em evento do filme

Tags Relacionadas crítica, crítica Rocketman, Elton John, Elton John filme, filme 2019, filme Elton John, filmes 2019, filmes Taron Egerton, musical, resenha, resenha Rocketman, Rocketman crítica, Rocketman filme, Rocketman resenha, Taron Egerton
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

A Chave de Sarah (“Elle s’appelait Sarah”)

Eu indico A Chave de Sarah  (França, 2010) Durante a

cryingmoney
Hanami – Cerejeiras em Flor (Alemanha, 2008)
Filmes

Hanami – Cerejeiras em Flor (Alemanha, 2008)

Quando descobre que seu marido tem pouco tempo de vida, Trudi não sabe se deve contar a ele a verdade. Em vez disso, ela decide planejar com Rudi uma viagem, para que aproveitem bem estes últimos momentos juntos. Sonhando conhecer o Japão, país pelo qual é apaixonada, a mulher decide que este será o destino do casal, mas que antes eles irão até Berlim, para fazer uma última visita a seus dois filhos que moram lá. Dirigido por Doris Dörrie.

confusedcryingstar
Síndromes e um século (Tailândia, 2006)
Cult

Síndromes e um século (Tailândia, 2006)

Situações aparentemente insignificantes ganham um grande significado nesta obra cinematográfica do diretor tailandês Apichatpong Weerasethakul. Retrato da modernização da Tailândia e as síndromes do século, através de situações em um hospital.

2 Comentários

  1. Elton e um ícone e confesso que não me surpreendeu o talento do Taron,apostei nele em Kingsman e apesar do fiasco de Hobin Hood sempre acreditei nesse britânico e espero que saiba escolher suas produções.
    Elton embalou com suas canções a minha vida
    E um ponto positivo da rua resenha foi exatamente o foco: Não podemos comparar os dous filmes,musical e cinebiografia são coisas bem distintas e o Rami tirou leite de pedra com seu talento pra superar a protese e oesdima maquiagem o que rendeu críticas… ao ator d não a equipe.
    Aguardo ansiosamente por esse que hoje minhas filhas ouvem comigo .
    Tiny Dancer,Your Song.. a trajetória de mais um que enfrentou preconceitos,venceu tornou-se e um dos maiores ícones da música pop.
    Salve,Sir Elton John ou seria Reginald Dwigth?

    Reply
    • A aposta num filme com cenas de musical foi boa, deu uma leveza e até um visual bacana. O Taron cantando e dançando nesse filme depois da queda por conta do Robin Hood me deixou bem contente. O pior é que eu vi o filme Robin Hood: a Origem recentemente, bem depois do filme do Elton, e realmente é uma mancha no currículo do ator, ele tem que esconder a cara que nem o personagem ladrão dos ricos, quando lembrarem que ele protagonizou este. Até o Jamie Foxx ficou ruim, não foi aproveitado e mesmo que fosse, é praticamente um filme sem salvação.

      Reply

Deixe seu comentário