Search

Você pode gostar disso:

secretangrypunk
Isolados (Brasil, 2014)
Filmes Suspense Terror

Isolados (Brasil, 2014)

O psiquiatra Lauro (Bruno Gagliasso) e sua namorada, Renata (Regiane Alves), decidem passar férias em uma casa isolada na serra, porém o que parecia ser uma época de paz e sossego, acaba se tornando um pesadelo, quando uma sequência de ataques violentos na região se aproxima cada vez mais do casal. Dirigido por Tomas Portella.

tonguepunk
Cemitério Maldito (2019)
Filmes Suspense Terror

Cemitério Maldito (2019)

Este filme foi ousado em reinventar uma das cenas mais fortes do livro (e do primeiro filme), que envolve a primeira catástrofe para a família. Isso ficou interessante e manteve a lógica. Outro ponto positivo foi a atuação de John Lithgow como o velho Jud Crandall, personagem chave com garantia de grandes momentos em tela graças ao ator consagrado. A garotinha Ellie, interpretada pela Jeté Laurence, também está boa no papel. Uma das cenas mais legais envolve os dois, é pesada e bem parecida com a cena do livro. Boa sorte!

laughingtongue
Kingsman 2: O Círculo Dourado (2017)
Filmes Suspense Terror

Kingsman 2: O Círculo Dourado (2017)

Um súbito e grandioso ataque de mísseis praticamente elimina o Kingsman, que conta apenas com Eggsy (Taron Egerton) e Merlin (Mark Strong) como remanescentes. Em busca de ajuda, eles partem para os Estados Unidos à procura da Statesman, uma organização secreta de espionagem onde trabalham os agentes Tequila (Channing Tatum), Whiskey (Pedro Pascal), Champagne (Jeff Bridges) e Ginger (Halle Berry). Juntos, eles precisam unir forças contra a grande responsável pelo ataque: Poppy (Julianne Moore), a maior traficante de drogas da atualidade, que elabora um plano para sair do anonimato. Dirigido por Matthew Vaughn.

angrypunk

Demônio (Devil, 2010)

Devil (EUA, 2010)

Cinco pessoas que ficam presas dentro de um elevador que, misteriosamente, pára de funcionar. O problema é que, aos poucos, tudo vai levando a crer que um daqueles é ninguém menos que o Demônio. Roteiro e produção de M. Night Shyamalan. Dirigido por John Erick Dowdle.

“… porque se existe o Demônio e a punição, existe também Deus e o perdão…”

Em Demônio, Shyamalan ocupa os cargos de produtor e roteirista. Os elementos de roteiro de Shyamalan marcam a obra. É criada uma história justificável (a base do roteiro) e os personagens possuem características marcantes e são misteriosos (policial com trauma de passado, mexicano religioso, ex-herói de guerra atormentado, etc). Poderia ser um filme chato já que o foco maior está dentro de um elevador, mas as situações que são criadas, dentro e fora, deixam o mesmo bem interessante. É usada a estratégia e tensão causadas pelo que “não é mostrado”, pois nenhum ato que leve a morte é explicitamente mostrado na tela, a energia do elevador desliga quando algo ruim vai acontecer e só ouvimos o barulho (como se estivéssemos lá dentro do elevador, no cantinho), e quando a luz volta, todos – personagens e espectadores – são apresentados ao resultado. Temos também um final interessante, que espero ser adequadamente interpretado por todos.

O filme já começa de uma forma criativa, pois a câmera vai passando pelos prédios altos da cidade, só que de cabeça para baixo, com a terra (inferno) acima do céu. E essa cena termina mostrando o resultado de um suicídio. É um ponto de partida que tem tudo a ver com o filme. Daí vem o suspense de quem será o demônio dentro daquele elevador, e o público pode suspeitar de qualquer um deles. Tendo pouquíssimas possibilidades de jogo de câmera quando a trama se passa no elevador, o uso dos sons e o aproveitamento das cenas do lado de hora compensa essa questão.

O filme Demônio é o primeiro de uma série de filmes que receberam o sinal verde para produção e roteirizarão dos contos de Shyamalan, intitulada The Night Chronicles.

M. Night Shyamalan:

O indiano M. Night Shyamalan tem em sua filmografia menos de 15 filmes. Desde o Sexto Sentido (1999), filme fabuloso e surpreendente, ele tem se mostrado um diretor e roteirista peculiar, com uma certa tendência a enganar o espectador e apresentar reviravoltas surpreendentes no final. O interessante é que ele usa filmes de suspense e terror e introduz uma boa carga dramática, aproximando o fantástico do mundo real e deixando a história mais rica. Considero essa característica um diferencial, mesmo ele sendo visto com grande controvérsia; a maioria se seus filmes ou são adorados, ou são odiados. Dizem que suas histórias são mal interpretadas e a crítica não o tem recebido muito bem.

Recomendo conferir a maioria dos seus filmes, tais como: O Sexto Sentido (1999), Corpo Fechado (2000), Sinais (2002), A Vila (2004), Fim dos Tempos (2008) e Demônio (2010). O seu próximo filme se chama After Earth (2013), e tem Will e Jaden Smith no elenco.

O diretor gosta de fazer aparições em seus filmes, só que ao invés de ser um mero personagem, normalmente tem grande importância e relação direta com a trama.

__________________________________
Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/M._Night_Shyamalan
http://www.cinepop.com.br/criticas/demonio_101.htm
http://www.cinemaqui.com.br/criticas-de-filmes/demonio

Tags Relacionadas A Vila, Corpo Fechado, crítica, demônio, resenha, Sexto Sentido, Shyamalan, Sinais
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

Que mal eu fiz a Deus? (França, 2014)

Eu indico Qu’est-ce qu’on a fait au Bon Dieu? (França,

laughingangeltongue
Lego Ninjago (2017)
Na pré

Lego Ninjago (2017)

Este é o terceiro “Filme Lego” que funcionou bem, tivemos antes “Uma Aventura LEGO” (2014), que poderia ter recebido o Oscar de melhor animação e deixou pessoas boquiabertas com o formato da animação, na medida que peças e bonecos Lego montam os cenários e as cenas ao longo do filme; e ainda tivemos, este ano, “Lego Batman: O Filme” (2017), com ótima qualidade visual, aventura e piadas hilárias no universo dos heróis. Phil Lord e Chris Miller, diretores e roteiristas do primeiro filme, produtores do "Lego Batman: O Filme", estão na produção deste novo filme, que ficou com a direção de Charlie Bean.

Filmes

72 horas (“The Next Three Days”)

Eu indico 72 horas (EUA / França, 2010) John Brennan

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário