Search

Você pode gostar disso:

Ação Cult Filmes Na pré Primeiro Aqui

Fantasia

Eu indico Fantasia (EUA, 1940) Inspirado por músicas clássicas de

crying
Eu e Você (Itália, 2012)
Ação Cult Filmes Na pré Primeiro Aqui

Eu e Você (Itália, 2012)

Escondido no porão para passar suas férias de inverno, Lorenzo, um jovem de quatorze anos, introvertido e um pouco neurótico, está se preparando para viver seu grande sonho: nada de conflitos, nada de colegas chatos de classe, nada de brincadeiras e falsidades. O mundo lá fora com suas regras incompreensíveis e ele deitado no sofá, bebendo muita coca-cola, comendo atum em caixinha e com livros de terror ao seu redor. Será Olivia, que chega de repente no porão com sua agressiva vitalidade, a tirar Lorenzo de seu universo sombrio, para que ele tire a máscara de adolescente complicado e aceite o jogo caótico da vida fora de quatro paredes. Dirigido por Bernardo Bertolucci.

punk
O Nevoeiro (2007)
Ação Cult Filmes Na pré Primeiro Aqui

O Nevoeiro (2007)

Após uma violenta tempestade devastar a cidade de Maine, David Drayton (Thomas Jane) e Billy (Nathan Gamble), seu filho de 8 anos, correm rumo ao supermercado, temendo que os suprimentos se esgotem. Porém um estranho nevoeiro toma conta da cidade, o que faz com que David, Billy e outras pessoas fiquem presas no supermercado. Logo David descobre que há algo de sobrenatural envolvido e que, caso deixem o local, isto pode ser fatal.Dirigido por Frank Darabont.

laughingconfusedtongue

John Wick 3: Parabellum (2019)

John Wick 3: Parabellum (EUA, 2019)

Si vis pacem, para bellum” é um provérbio latino que significa “se quer paz, prepare-se para a guerra”. A frase é atribuída ao autor romano do quarto ou quinto século Flávio Vegécio e serviu de subtítulo dessa nova sequência da franquia de ação mais esperada de 2019. O sucesso do segundo filme – John Wick: Um Novo Dia Para Matar – foi aproveitar a grande ideia do primeiro, o encaixe perfeito de Keanu Reeves no personagem e incrementar com grandes sequências de ação, deixando uma boa ponte para essa continuação. O legal aqui é começar logo após os eventos finais do último filme, levantando a adrenalina na qual deixou os expectadores no final do anterior já no início deste, em poucos minutos temos uma grande cena de ação para abrir o longa da forma que ele merece.

Chad Stahelski dirigiu os três filmes e considero que houve uma importante melhoria a cada vez. Este novo tem aquilo que desejamos: muitas cenas com tomadas longas de ação e Keanu Reeves numa ótima performance. Aqui o John Wick está no modo survivor man, ele é perseguido pelo mundo do crime e ajudado por poucos, sendo inclusive obrigado a cobrar dívidas passadas para receber um auxílio. Mas tudo o que ele precisa são de armas, um monte de armas!

Existem pequenas passagens para dar vazão ao conteúdo da história, explicando um pouco mais a origem do protagonista, definindo a palavra ‘assassino’, lidando com a questão da ação pela emoção e as consequências disso, assim como relações de retribuição (mais do que amizade). Mas é a mudança de ambientes e o uso variado de tipos de armas de fogo – algumas com balas de 8g que viajam a 435 metros por segundo, outras de calibre 12 que arrancam cabeças – e armas brancas, cavalos, motos e até cães adestrados que garantem muita adrenalina. Acredito que nenhuma cena será tão vibrante como a sequência de Keanu Reeves junto com a Halle Berry e seu dois cachorros… é simplesmente sensacional.

Lembrei de filmes como Duro de Matar, True Lies (1994) e até alguns de Bruce Lee, principalmente aquele onde o lutador enfrenta um oponente a cada andar de um prédio, por conta das cenas no clímax de Parabellum que envolvem as salas de vidro. Pode ter buscado inspiração também no filme coreano A Vilã (2017). Talvez tenha sido uma homenagem proposital a grandes clássicos de ação e luta marcial.

Além da supracitada Halle Berry, temos personagens coadjuvantes de peso, como a Asia Kate Dillon (da série Orange Is the New Black) que está ótima, linda e amedrontadora, Laurence Fishburne e Lance Reddick mais uma vez acrescentando, assim como um oponente de peso simplesmente interpretado pelo Mark Dacascos! Mas entre todos, quero destacar a presença em cena de Ian McShane, ótimo mais uma vez como o dirigente do hotel e que vai largar uma frase no melhor momento possível para explicar o subtítulo do filme. Prepara-se para a guerra! Prepara-se para apreciar um grande filme de ação!

Tags Relacionadas crítica John Wick, crítica John Wick 3, crítica Parabellum, filme Keanu Reeves, filmes Keanu Reeves, Halle Berry, Keanu Reeves, resenha John Wick, resenha John Wick 3, resenha Parabellum
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

Filmes

O Homem Invisível (The Invisible Man)

Eu indico The Invisible Man (EUA, 1933) Jack Griffin (Claude

angeltongue
Pica-Pau: O Filme (2017)
Na pré

Pica-Pau: O Filme (2017)

Os adultos de hoje lembram facilmente dos desenhos do Pica-Pau. O personagem foi criado em 1940 pelo artista Walt Lantz, tendo muitas animações produzidas pelo estúdio do próprio artista e distribuídas pela Universal Pictures. É o personagem pássaro de desenho animado mais famoso do mundo. Agora, anos depois do sucesso do desenho, resolveram fazer um filme live-action misturado com animação gráfica, para mostrar esse personagem peculiar. Dirigido por Alex Zamm e escrito por Dave Krinsky e John Altschuler.

Filmes

Síndrome de Caim (“Raising Cain”)

Eu indico Síndrome de Caim (EUA, 1992) Charles Nix (John

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário