Search

Você pode gostar disso:

cryingmoney
Sentidos do Amor (2011)
Ação Ficção Científica Filmes Na pré

Sentidos do Amor (2011)

Susan (Eva Green) é uma estudiosa epidemiologista em crise com o amor. Ao conhecer o sedutor Michael (Ewan McGregor), um talentoso chefe de cozinha, tenta resistir, mas logo acaba rendendo-se. No entanto, enquanto a paixão do casal aumenta, uma misteriosa pandemia se espalha pelo mundo. Dirigido por David Mackenzie.

laughingsecret
2 Coelhos (Brasil, 2012)
Ação Ficção Científica Filmes Na pré

2 Coelhos (Brasil, 2012)

Edgar (Fernando Alves Pinto) encontra-se na mesma situação que a maioria dos brasileiros: espremido entre a criminalidade, que age impunemente, e a maioria do poder público, que só age com o auxilio da corrupção. Cansado de ser vítima desta situação, ele resolve fazer justiça com as próprias mãos e elabora um plano que colocará os criminosos em rota de colisão com políticos gananciosos. Na medida que o plano de Edgar é executado, descobrimos pouco a pouco suas reais intenções e sua história, marcada por um terrível acidente e um amor que ele jamais esqueceu. Dois Coelhos é um enigmático suspense de ação onde cada minuto vale mais que todo o passado. Dirigido e escrito por Afonso Poyart.

cryingstar
Boyhood – Da Infância à Juventude (EUA, 2014)
Ação Ficção Científica Filmes Na pré

Boyhood – Da Infância à Juventude (EUA, 2014)

Filmado durante 12 anos (começou em 2002), este filme é um retrato dessas experiências, da infância até a juventude, focada na vida de um garoto. O diretor Richard Linklater manteve os mesmos atores durante os 12 anos de produção, cada ano reunia a todos e filmava um pouco mais.

laughingmoustachetongue

Venom (2018)

Venom (2018)

Considerando a importância deste personagem no universo da Marvel, especialmente para os fãs do Homem-Aranha, e o fato de ser um filme que trata de um vilão, quem estava esperando uma história mais sinistra e pesada, vai encontrar o inverso. Mesmo com uma cena de abertura dando um tom de ficção com terror. Já começando pelo protagonista interpretado pelo Tom Hardy, ele é cômico e sua interação com o organismo alienígena que toma o seu corpo, no que diz respeito aos diálogos entre os dois, também é engraçada. O Venom dentro dele não somente se torna mais um elemento divertido, como também é facilmente convencido a não ser tão mal quanto muitos fãs podem desejar que fosse. Inadequadamente tarjado como ficção científica, suspense e terror, esse filme tem somente o aspecto da ficção científica se sobressaindo… além da ação e comédia.

A dinâmica entre Tom Hardy e Venom consegue ser interessante. Quando se funde ao simbionte e surge Venom, a comunicação entre os dois garante cenas divertidas e vai de acordo com algumas passagens do filme que falam sobre o poder da mente vencendo o corpo, a importância da meditação e a frase de efeito: não existe “não pode”. É quase um demônio dentro de uma pessoa que busca conquistas positivas e precisa conviver com esse conflito interno. Senti, inclusive, mais força no humano do que no monstro. Ao menos conseguiram manter fidelidade ao apresentar o ponto fraco do vilão.

O surgimento do Venom é simplificado na trama pois não temos o mega evento das Guerras Secretas que ocorre no espaço, então a opção foi o tradicional organismo alienígena que ninguém deveria chegar perto. O pior é que o nível de maldade ficou duvidoso. Ademais, sobre o personagem Eddie Brock (Tom Hardy), antes de conviver com o Venom, faltou certa coerência quando ele foi apresentado como um jornalista ético e a favor da verdade, mas se aproveitou de uma pessoa próxima (que diz amar) para divulgar um furo a favor da matéria. Por sinal, todo o desenrolar da relação dele com Anne Weying (Michelle Williams) e tendo que conviver ao mesmo tempo com o Venom, ficou desagradável na trama, o que é um desperdício de dois atores excelentes.

Não encontrei muitas referências aos quadrinhos, mas tampouco sou um conhecedor do universo do Homem-Aranha. Existe uma menção sobre um equívoco jornalístico vivenciado pelo Eddie Brock no inicio do filme, semelhante aos quadrinhos onde algo assim gerou o ódio dele pelo Peter Parker e daí o Venom se tornou seu arqui-inimigo. Enfim, as referências legais e explícitas estão nos pós créditos (sim, e temos dois) que achei coerente com o que deve vir pela frente para o universo do Homem-Aranha e acima da média em se tratando dos pós créditos da Marvel. Outra coisa boa que chamou atenção foi a trilha sonora, já que existem duas musicas exclusivas: uma chamada “Venom” e outra com a palavra “Aranhaverso” no título.

Tags Relacionadas crítica, crítica venom, filme marvel, filme venom, homem aranha filme, marvel filme, resenha, resenha venom, Tom Hardy, venom, venom filme
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

laughingpunk
Águas rasas (2016)
Ação

Águas rasas (2016)

Nancy (Blake Lively) é uma jovem médica que está tendo de lidar com a recente perda da mãe. Seguindo uma dica sua, ela vai surfar em uma paradisíaca praia isolada, onde acaba sendo atacada por um enorme tubarão. Desesperada e ferida, ela consegue se proteger temporariamente em um recife de corais, mas precisa encontrar logo uma maneira de sair da água. Dirigido por Jaume Collet-Serra.

cryingsecretangry
Para Minha Amada Morta (Brasil, 2016)
Nacional

Para Minha Amada Morta (Brasil, 2016)

Após a morte de sua esposa, o fotógrafo Fernando torna-se um homem calado e introspectivo. Ele vive cercado de objetos pessoais da falecida até descobrir, em uma fita VHS, uma surpresa que coloca em dúvida o amor da esposa por ele. A partir de então Fernando decide investigar a verdade por trás destas imagens.

laughingangelpunk
Juan dos Mortos (Cuba, 2013)
Ação

Juan dos Mortos (Cuba, 2013)

Juan (Alexis Díaz de Villegas) é um sujeito de 40 anos especializado na arte de não fazer nada. Um dia, se depara com uma misteriosa infecção que está transformando os habitantes de Havana em mortos-vivos. Como um bom cubano, decide começar um negócio ao lado do amigo Lazaro (Jorge Molina) para tirar vantagem da situação. Eles se especializam em assassinar zumbis e trabalham com o slogan "Matamos seus entes queridos". O negócio acaba sendo afetado com o crescimento constante do número de infectados. Dirigido por Alejandro Brugués.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário