Search

Você pode gostar disso:

Ação Comédia Filmes Na pré

Helter Skelter (EUA, 2004)

Eu indico Helter Skelter (EUA, 2004) O filme mostra a

cryingsecret
Mãe só há uma (Brasil, 2016)
Ação Comédia Filmes Na pré

Mãe só há uma (Brasil, 2016)

Anna Muylaert dirige este filme nacional que poderia vencer um Oscar. Baseado em um caso real, mostra um garoto de 16 anos que descobre que sua mãe não é biológica, quando a mesma é presa pela polícia. Confuso e tendo que morar com seus parentes verdadeiros, que o conhecem como Felipe, o rapaz tem que se adaptar à nova realidade.

angelcrying
3 Idiotas (Índia, 2010)
Ação Comédia Filmes Na pré

3 Idiotas (Índia, 2010)

Dois amigos, Farhan e Raju, embarcam em uma jornada em busca de seu amigo desaparecido, Rancho. Em meio a viagem eles perpassam por uma trajetória através do tempo e da história do amigo que possui um jeito único e que os inspirou a viver sem preocupações e com muita criatividade. Dirigido por Rajkumar Hirani.

laughingangeltongue

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa (2020)

Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa (2020)

Seguindo uma divertida narração da própria Arlequina, Aves de Rapina (2020) carrega em si uma simbologia por osmose que representa a emancipação, independência, das mulheres a partir da figura dessa personagem que, aqui, passa de louca para um exemplo. Aliás, o recado de que estamos em um mundo dos homens aparece até numa cantoria da personagem coadjuvante Canário Negro (Jurnee Smollett-Bell)… e a resposta se dá principalmente nas vias de fato, onde as garotas dão uma lavagem de porrada nos caras.

Ainda assim, diante dessa insistência, não houve um exagero feminista. Por certo a diretora Cathy Yan dá um exemplo de condução e o filme não se perde e nem cansativo fica. Uma ótima direção de atores com cenas de ação interessantes. É vibrante ver essa passagem de vítima do Coringa para essa personagem que vemos no filme.

Vias de fato mais do que superpoderes em Aves de Rapina:

A porrada cai geral nos homens como um troco das garotas, principalmente a Arlequina que domina a maior parte das cenas, com destaque para a sua habilidade insana no uso do bastão de baseball. Ela está infreável junto com as outras garotas e sem necessidade de apelação com superpoderes. O poder é o feminino que pode tudo e, diante de dificuldades, uma mana levanta a outra.

Numa estrutura narrativa com sobreposição de cenas, temos idas e vindas que são até engraçadas, pois somos norteados pela narração de Arlequina, do jeito dela. Nesse sentido, nem os clichês cinematográficos escapam, eles viram piadas a partir da visão dela. Margot Robbie é um sucesso, bem melhor que no filme anterior, e sua personagem está numa nova roupagem e mantendo seus altos e baixos psicológicos psicóticos numa interpretação bombástica da atriz.

Tanto quanto a atriz principal, está o segundo elenco, dando o seu show. Especialmente o vilão (Ewan McGregor) e seu lacaio (Chris Messina). O McGregor com seus recorrentes gritos de vibração e a Margot Robbie com a sua risada típica equilibram insanidade e maldade com alívio cômico. Sem dúvida esse vilão supera fácil o personagem Coringa de Esquadrão Suicida (2016), filme que nem merece as lembranças e poucas referências que este Aves de Rapina (2020) faz a ele.

Criatividades nas cenas de ação envolvendo inclusive uma daquelas casas de horrores típica em cidades dos EUA (neste caso, de Gothan City) completa os ingredientes para garantir uma diversão sem fim, eu diria mais fabulosa do que fantasiosa, embora aceite a mistura de palavras no subtítulo. Bom para a DC que também acertou nos dois últimos anos, ao menos com Coringa (2019) e Aquaman (2018).

“Por trás de um grande homem, existe sempre uma mulher fodona”

Tags Relacionadas arlequina, crítica, crítica arlequina, crítica aves de rapina, Margot Robbie, resenha, resenha arlequina, resenha aves de rapina
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

cryingtongue
Rocketman (2019)
Drama

Rocketman (2019)

Extremamente talentoso mas muito tímido, o pianista prodígio Reginald Dwight muda seu nome para Elton John e torna-se uma estrela da música de renome internacional durante os anos 1970. Dirigido por Dexter Fletcher.

crying
César Deve Morrer (Itália, 2012)
Drama

César Deve Morrer (Itália, 2012)

Na prisão de segurança máxima de Rebibbia, Roma, um grupo de prisioneiros encena a peça "Júlio César", de William Shakespeare. Pelos corredores, fala-se de morte, liberdade, vingança. Realidades presentes no texto shakespeariano, mas também nas suas próprias histórias. Dirigido pelos irmãos Paolo e Vittorio Taviani, o filme venceu o Urso de Ouro no Festival de Berlim 2012.

laughingtongue
Atômica (2017)
Filmes

Atômica (2017)

A proposta é comum: espionagem, Guerra Fria, não confie em ninguém. Contudo, o enredo consegue ser atraente, a história se desenrola muito bem no roteiro de Kurt Johnstead e as cenas de ação são sensacionais e brutais, sendo postas no filme junto com músicas famosas dos anos 80 e 90. Afinal, o filme se passa em 1989, nessa transição entre duas décadas importantes na história. Os diálogos discutem de forma interessante a Guerra Fria e como os espiões foram importantes para evitar que essa guerra tomasse proporções catastróficas e estourasse como o efeito de uma bomba atômica. Mas bombástica no filme mesmo é a Charlize Theron, sua personagem é encaixada com facilidade nesse cenário onde a sobrevivência é constantemente ameaçada.

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário