Search

Você pode gostar disso:

laughingcrying
A Qualquer Custo (2016)
Drama Filmes Na pré Nacional Primeiro Aqui

A Qualquer Custo (2016)

Dois irmãos, um ex-presidiário e um pai divorciado com dois filhos, estão para perder a fazenda da família no oeste do Texas e decidem assaltar bancos como uma chance de se restabelecerem financeiramente. Só que, no caminho, a dupla se cruza com um delegado, que tudo fará para capturá-los. Dirigido por David Mackenzie.

Drama Filmes Na pré Nacional Primeiro Aqui

A Última Casa à Esquerda

Eu indico The Last House on the Left (EUA, 2009)

laughingmoustache
Maze Runner – Correr ou Morrer (2014)
Drama Filmes Na pré Nacional Primeiro Aqui

Maze Runner – Correr ou Morrer (2014)

Ao acordar dentro de um escuro elevador em movimento, Thomas (Dylan O'Brien) chega à “Clareira”, se vendo rodeado por garotos que o acolhem. O local é um espaço aberto cercado por muros gigantescos. Assim como Thomas, nenhum deles sabe como foi parar ali, nem por quê. Sabem apenas que todas as manhãs as portas de pedra do Labirinto que os cerca se abrem, e, à noite, se fecham. E que a cada trinta dias um novo garoto é entregue pelo elevador. Dirigido por Wes Ball e roteiro de Noah Oppenheim.

cryingtonguesecret

Happy Hour – Verdades e Consequências (Brasil / Argentina, 2017)

Happy Hour – Verdades e Consequências (Brasil / Argentina, 2017)

Dirigido por Eduardo Albergalia e escrito em parceria com Carlos Thiré, Ana Cohan e Fernando Velasco, esse filme parece ter saído de uma história de Nelson Rodrigues, contudo está muito abaixo do poder e impacto que histórias assim deveriam ter. Na tentativa de discutir o desejo e sua consumação, em contraste com a fidelidade, entrega-se um filme raso e sem graça mesmo nas suas pequenas tentativas em ser divertido.

A ideia de discutir a liberdade e fazer com que as pessoas deem espaço para o seu desejo é interessante, até instigante quanto mais quando uma garota jovem e sexy pede ao seu professor estrangeiro para dizer a palavra desejo em espanhol (“fala pra mim: deseo”). A sensualidade também aparece na personagem de Letícia Sabatella devido principalmente a sua beleza que parece eterna. Existe uma proposta da comédia se misturar com a melancolia e entendemos isso na situação do protagonista, que narra sua história lentamente. Há uma tentativa tímida de introduzir elementos periféricos à trama central, como redes sociais, política e família, mas, enfim, a trama não cria situações fortes e nem reviravoltas chamativas.

Podemos admirar a trilha da Urca e outras belezas do Rio de Janeiro no filme, ou achar divertido os turistas perdidos procurando sempre o Pão de Açúcar, até mesmo à noite e sob chuva. Assim como a presença de Letícia Sabatella e a atuação divertida do argentino Luciano Cáceres, mesmo sendo coadjuvante. Mas ao que parece o maior acerto do filme é trazer a música “Fala”, de Ney Matogrosso em contexto com a narrativa. Talvez sejam poucos acertos para valer 2 horas de seu tempo, mas isso depende de cada um.

Independente do resultado, é uma produção brasileira e argentina que pode ajudar a estreitar as fronteiras do mercado de cinema latino-americano. Já tivemos uma produção brasileira e chilena funcionando muito bem, estamos falando do drama O Silêncio do Céu (2016), um ensaio interessante sobre a culpa numa trama hipnotizante, de Marco Dutra. E já tivemos muitos outros filmes que acertaram com o tema “relacionamentos modernos”, inclusive o nacional Tolerância (2000), com Roberto Bontempo e Maitê Proença (confira resenha clicando aqui).

Tags Relacionadas crítica Happy Hour, crítica Verdades e Consequências, filme Happy Hour, filme Letícia Sabatella, filme nacional, Letícia Sabatella, resenha Happy Hour, resenha Verdades e Consequências
Próximo post Post anterior

Você pode gostar disso:

cryingtongue
A Favorita (2018)
Na pré

A Favorita (2018)

Estamos na época das grandes premiações e este filme tem ficado em destaque, com mérito.  Na Inglaterra do século 18, Sarah Churchill, a Duquesa de Marlborough, exerce sua influência na corte como confidente, conselheira e amante secreta da Rainha Ana. Seu posto privilegiado, no entanto, é ameaçado pela chegada de Abigail, nova criada que logo se torna a queridinha da majestade e agarra com unhas e dentes essa oportunidade única. Dirigido por grego Yorgos Lanthimos.

Filmes

Nossa Hospitalidade (EUA, 1923)

Eu indico Our Hospitality (EUA, 1923) Por volta de 1830,

Filmes

Paris, Texas (1984)

Eu indico Paris, Texas (França / Alemanha / EUA) Travis

0 Comentário

Sem comentários

Você pode ser o primeiro a comentar este post!

Deixe seu comentário